O que Deus está fazendo no mundo hoje?

Artigo por Travis Myers | 12 de setembro de 2017

O que Deus está fazendo em missões?

Atualmente muitos debatem a definição correta de missões cristãs, bem como a compreensão correta do que os missionários deveriam fazer ou priorizar em seus trabalhos. Responder bem a essas importantes questões parte do reconhecimento, nas Escrituras, do que Deus está fazendo nos ministérios de alcance global e intercultural do seu povo.

Meu objetivo é apresentar algumas das riquezas teológicas que Deus forneceu para comunicar a nível mundial, especialmente entre os grupos de pessoas não alcançadas e menos suscetíveis do mundo. Quero esboçar para você como a Bíblia retrata a jornada em que todos estamos como corpo global de Cristo, e o horizonte para o qual Deus está nos levando. Encontrar-nos nessas sete trajetórias e histórias bíblicas deve proporcionar uma confiança mais humilde de que Deus pode escolher fazer coisas gloriosas através de nossa paciência, esmero, e atos estrategicamente posicionados de discipulado cristão e testemunho.

  1. Deus está abençoando as nações com seu Espírito através da prole de Abraão.

Deus prometeu a Abraão uma prole ou “semente” através da qual ele abençoaria todas as nações e famílias da terra (Gênesis 12: 1-3 ; 17:17). O filho de Abraão, Isaque, e a nação de Israel, foram realizações tipológicas dessa promessa, mas, em última instância, elas apontaram para um Maior.

Cristo é o supremo cumprimento da promessa. Ele é a incomparável e gloriosa semente através da qual os eleitos recebem a benção prometida a Abraão (Gálatas 3: 7-22). Paulo deixa claro que esta benção é a nova vida e o fruto que o Espírito Santo produz, não prosperidade material ou desenvolvimento econômico, per se. Por mais impressionante que seja, tanto crentes gentios quanto judeus se tornam filhos e filhas de Abraão através da união com a prole dele: Cristo (Gálatas 3: 23-29).

Então, somos os instrumentos na terra da benção de Deus, dos eleitos de cada tribo e língua! Desde o início de seu evangelho, Mateus identifica Jesus como “o filho de Abraão”, o herdeiro da aliança de Abraão (Mateus 1: 1). E no final de seu evangelho, Mateus registra a Grande Comissão para “fazer discípulos de todas as nações” (Mateus 28:18). Portanto, conforme as igrejas são plantadas entre grupos de pessoas não alcançadas, Deus está mantendo e cumprindo sua aliança com Abraão.

  1. Deus está conduzindo as pessoas que ele redimiu à Terra Prometida de descanso e abundância.

Jesus, Yeshua, é o verdadeiro e melhor Josué [Yeshua em hebraico]. A promessa de Jesus: “Eu estou com vocês sempre, até o fim dos tempos” (Mateus 28:20) ecoa as palavras de Josué aos israelitas antes de entrarem na Terra prometida (Josué 1: 1-9). Josué encorajou a nação redimida de Israel a “serem fortes e corajosos” ao tomar a terra que Deus estava prestes a dar, sem ter medo, porque “o Senhor, seu Deus, está convosco onde quer que você vá”.

Os crentes em Cristo um dia herdarão toda a terra (Mateus 5: 5 ; Romanos 4:13) – uma terra de “paz abundante” em que nos deleitaremos (Salmo 37:11 , Isaías 65: 17-25), sem lágrimas, morte, luto, choro ou dor (Apocalipse 21: 1-4). Ainda assim, à medida que vamos com o evangelho até os grupos de pessoas não alcançadas, devemos fazê-lo sabendo que nosso “Josué” e nosso Deus, o Rei Jesus, está nos conduzindo da mesma forma como Josué guiou Israel para ocupar o território que ele já adquiriu, e irá conquistá-lo e subjugá-lo para nós através da nossa fiel obediência.

  1. Deus está subjugando as nações dos gentios, em misericórdia, sob os pés do Messias…

Mas o território sobre o qual Cristo terá regência é o coração de seus eleitos. Nesse exato momento, Cristo está à mão direita de Deus Pai reinando sobre todas as coisas até que todos os seus inimigos sejam colocados sob o estrado de seus pés (1 Coríntios 15: 24-28 , Salmo 110: 1). Todavia, ele subjuga seus inimigos em misericórdia, concedendo-lhes fé para abraçá-lo e se refugiar nele (Salmo 2:12). Deus está progressivamente criando, por meio de uma fé moldada, a obediência ao rei Jesus e a alegria nele entre “todas as nações” por causa da glória e do “nome” de Cristo (Romanos 1: 5 ; 16:26).

… e dando a seu Filho como a herança as nações que ele mereceu e pediu.

Cristo Jesus, descendente de Davi segundo a carne, foi declarado o Filho de Deus com poder pela sua ressurreição (Romanos 1: 3-4). O Filho de Abraão e o Filho de Davi (Mateus 1: 1) emitiu sua comissão real (Mateus 28: 18-20). Através da evangelização e do discipulado de seus embaixadores, Deus está dando ao seu Filho Ungido “as nações [a sua] herança e os confins da terra [a sua] possessão” (Salmo 2: 1-8). É a herança que ele solicitou (Salmo 2: 8) e merece por ter “amado a justiça” perfeitamente, e “odiado a maldade” puramente (Hebreus 1: 8-13 citando o Salmo 45: 6-7).

Ele recebeu toda autoridade, seu trono foi estabelecido para sempre, e ele está edificando para Deus uma “casa”. Deus prometeu um reino glorioso ao filho de Davi (2 Samuel 7:13) –  Salomão foi um cumprimento inicial dessa promessa, mas Deus continua mantendo e, finalmente, cumprindo essa aliança através da missão da igreja aos grupos de pessoas não alcançadas. O rei Jesus está construindo sua igreja global (Mateus 16:18), cumprindo as promessas da aliança a Davi quanto a uma dinastia familiar de todas as etnias, bem como uma habitação indestrutível para a glória de Deus (2 Samuel 7: 12-13 , 16).

  1. Deus está construindo um templo global para ser sua morada nestes últimos dias.

Deus andou com Adão e Eva no jardim do Éden (Gênesis 3: 8) – uma comunidade que foi tragicamente rompida quando o pecado entrou no mundo (Gênesis 3: 23-24). Depois que Deus libertou a Israel do Egito, prometeu não só ser seu Deus, mas habitar com eles, reabrir o caminho para a comunhão entre Deus e a humanidade (Êxodo 25: 8 ; 29: 43-46). Primeiro em um tabernáculo móvel no deserto, então, no templo mais permanente construído em Jerusalém, o povo de Deus desfrutava de sua habitação com eles.

Na plenitude dos tempos, Deus “tabernaculou”, ou habitou com Israel na pessoa de Cristo, a encarnação da Palavra eterna (Mateus 12: 6 ; João 1:14 ; 2: 19-22). Agora, o Deus Santo habita com seu povo redimido, pela residência do Espírito entre nós (1 Coríntios 3:16 ; 2 Coríntios 6:16 ; Efésios 2: 19-22 ; 1 Pedro 2: 5). Nós mesmos somos, agora, a morada de Deus que fala, louva, proclama, vive, ama, morre e ressuscita. E Deus objetiva formar um templo global de “pedras vivas” de toda cultura e cor (1 Pedro 2: 5 , 9-12).

Ao testemunharmos as excelências de Deus entre os grupos de pessoas ainda não alcançadas, Deus regenera tijolos de argila morta e une-os à pedra angular de seu templo global com o resto de nós que fomos separados do mundo, unidos um ao outro, habitados, dotados e frutificados pelo seu Espírito nestes últimos dias (Atos 2: 14-21 ; 4:11 ; Joel 2: 28-32 ; Gálatas 5: 22-23).

  1. Deus está enviando suas testemunhas até os confins da terra para libertar da idolatria os perdidos.

O Cristo ressuscitado disse a seus discípulos em Jerusalém antes de Pentecostes: “Vocês receberão poder quando o Espírito Santo vier sobre vocês, e vocês serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra” (Atos 1: 8). Através do poder do Espírito, no evangelismo e nos esforços globais de plantação de igrejas dos missionários de hoje, Deus está cumprindo sua promessa de fazer de seu povo messiânico testemunhas do único Deus e Salvador (Isaías 43: 10-13 , Atos 4:12).

Deus disse que não era suficiente que Cristo unicamente chamasse e restaurasse o povo de Israel. Deus fez de Cristo uma “luz para as nações” para que a salvação de Deus “alcance até os confins da terra” (Isaías 49: 6 , Atos 13:47). Simeão reconheceu o bebê Jesus como esta “luz para revelação aos gentios”, a testemunha prometida e servo de Deus (Lucas 2: 25-35).

A igreja é a luz do mundo (Mateus 5:14 , Filipenses 2: 14-16). Através de nossa presença cristã fiel e proclamação, Deus está dissipando a escuridão que cega os adoradores de falsos deuses tateando nas trevas (Atos 17: 22-34).

  1. Deus está enchendo a terra com a sua glória ao recriar os portadores da imagem quebrada.

Inicialmente, a dispersão de povos em todo o planeta (Atos 17: 24-31) e a confusão de línguas foram o julgamento de Deus. Aqueles a quem Deus ordenou exercer domínio sobre toda a Terra, ao invés disso, se reuniram em um lugar para “fazer um nome para [eles]” na torre de Babel (Gênesis 11: 1-9). Eles deveriam encher a terra da glória de Deus como portadores de sua imagem e obedientes vice regentes (Gênesis 1: 26-28 ; 9: 1 , 6). Após a rebelião em Babel, Deus interveio para espalhar os caídos portadores da imagem quebrada por todo o mundo.

Agora Deus está santificando a diversidade global redimindo-a e incorporando-a em seus povos adoradores que são de “toda tribo e língua” (Apocalipse 5: 9-10 ; 7: 9-10). Os eleitos, pelo Espírito de Deus, são refeitos à imagem de Cristo (Romanos 8:29 ; 2 Coríntios 3:18), enquanto crescem na graça e no conhecimento de Deus (2 Pedro 3:18). Quando fazemos discípulos de todas as nações, Deus está enchendo a terra com o conhecimento da sua glória, “como as águas cobrem o mar” (Habacuque 2:14).

O evangelho gradualmente se infiltra em todos os recantos culturais do planeta. A Grande Comissão é a nova reiteração da aliança do mandato de ser frutífero e multiplicar (Gênesis 1:28). Enquanto missionários e evangelistas – todos os representantes de Deus na terra – testemunham Cristo e chamam os outros para a fé, Deus, às vezes, nos concede filhos espirituais na fé para que sejamos “frutíferos”. Ao discipular os mais jovens na fé, estamos treinando-os “no caminho em que devem seguir” (Provérbios 22: 6 , cf. Deuteronômio 4: 1-14 ; 6: 1-25 ; 2 Timóteo 2: 2 ; Tito 2: 4-5).

  1. Deus está exaltando Cristo para a cura das nações e glória do seu nome.

Um dos principais pontos teológicos de João no quarto evangelho é que Cristo foi exaltado ou “levantado” pela sua crucificação (João 12:32). Ironicamente, na cruz, Cristo foi glorificado como o enviado de Deus (João 12:23). Desse modo que Deus “amou o mundo”, dando “seu único Filho” (João 3:16). “Ele mesmo carregou nossos pecados em seu corpo no madeiro, para que possamos morrer para o pecado e viver para a justiça. “Por suas feridas [nós] fomos sarados” (1 Pedro 2:24). Nós apontamos para ele e dizemos: “Veja! Seja curado! Seja salvo!”

Agora “pregamos a Cristo crucificado” (1 Coríntios 1:23) entre as nações, pintando publicamente, com nossas palavras e vidas, uma imagem do sofrimento do Salvador na cruz (Gálatas 3: 1 , Colossenses 1:24). E proclamamos que Jesus foi ressuscitado dentre os mortos pela reivindicação de Deus de sua santidade, e prova de sua vitória sobre o pecado e a morte (Atos 2: 23-27 ; 3: 14-15). Deus “exaltou” Jesus por sua humilde obediência em extrema condescendência a nosso favor (Filipenses 2: 4-11).

Jesus é o nome pelo qual todas as pessoas devem ser reconciliadas com Deus (Atos 4:12). Ele foi exaltado, subiu ao céu e foi entronizado (Hebreus 1: 3-4). É daquela posição elevada e lugar de soberania que Jesus está estendendo seu reino na terra através dos esforços missionários fiéis da igreja.

Motivações para Missões

Quer motivação para missões? Ler toda a Bíblia através de uma lente centrada em Cristo nos impulsiona no amor às missões em direção aos grupos de pessoas não alcançadas do mundo. Então, continue lendo a palavra, pensando frequentemente na gloriosa história da Bíblia e em todos os seus subenredos maravilhosos. Quanto mais reconhecemos e nos regozijamos nos temas que se juntam para explicar o que Deus está fazendo no mundo, mais apreciaremos e desfrutaremos o que Deus está fazendo no plantio pioneiro de igrejas e discipulado.

Quer motivação para missões? Lembre-se do que Deus é capaz de fazer no mundo.

Mais de mil grupos de pessoas ainda permanecem totalmente sem engajamento atualmente, sem um único embaixador de Cristo enviado a eles. Você oraria e consideraria com os outros se você poderia fazer parte de uma equipe de plantação de igrejas entre um grupo de pessoas não alcançadas ou um lugar desatendido?

_______________________________________________________________

Travis Myers ( @ travismyers71 ) é professor assistente de história da igreja e estudos de missão no Bethlehem College & Seminary . Ele também é membro do conselho editorial do Journal of Global Christianity, publicado pela Training Leaders International . Ele e sua esposa, Susan, serviram como membros do corpo docente missionário no Seminário Teológico Batista dos Camarões.

 

Artigo traduzido a partir de http://www.desiringgod.org/articles/what-god-is-doing-in-the-world-today

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: