Resgatando o Discipulado

Maio 23, 2016 | Tommy Nelson

O discipulado nunca esteve em voga. Talvez seja porque leva tempo, e somos impulsionados pela urgência. É por isso que o livro de Mark Dever sobre discipulado na igreja local, Discipulado: Como ajudar outras pessoas a seguir Jesus, é tão necessário.

O que eu procuro em qualquer livro sobre discipulado é a simplicidade. Muitas vezes, os autores fazem do discipulado algo muito sofisticado. Eles o tornam mais do que realmente é: o processo natural da vida entre um cristão mais maduro e um mais jovem que deseja crescer em Cristo. O livro de Dever, porém, é direto e claro.

O livro é composto por três seções que abrangem a definição de discipulado, onde ocorre e como ocorre.

Criados para Discipular

Dever, que atua como pastor sênior da Igreja Batista Capitol Hill em Washington, D. C. e presidente da 9Marcas, argumenta que ou influenciamos os outros ou somos influenciados por outros. Todos nós, em certo sentido, estamos discipulando ou sendo discipulados. E o verdadeiro discipulado cristão é deliberado e direto em seu objetivo: transformar os outros. Além disso, como uma criatura feita à imagem de Deus, o homem foi criado para os outros. Estar envolvido na vida de outros é uma parte natural e normal da experiência humana. Fomos criados para discipular.

O discipulado é trabalho árduo. Pode ser doloroso, decepcionante, e profundamente humilhante. Paulo usa palavras como “trabalho”, “agonia” e “sofrimento” para descrevê-lo. Quando envolvemos outros humanos nesse nível, estamos lidando com a força mais instável da natureza. O discipulado é dispendioso.

O discipulado também é um trabalho divino. Trabalhamos “segundo a sua eficácia que opera eficientemente em” nós (Colossenses 1.29). Toda frutificação só virá de acordo com a boa graça de Deus. “Sem mim nada podeis fazer”, diz Jesus (João 15.5). O ministério exige o que C. S. Lewis chama de “a magia profunda” da visita de Deus aos homens para restaurá-los de volta ao seu design original. Nossos esforços de discipulado, então, devem ser embebidos em oração para aquele que começou uma boa obra em nós e irá completá-la (Filipenses 1.6). Não podemos confiar em um sistema ou programa para produzir frutos quando somente a graça de Deus através da Palavra o fará.

Como Discipulamos?

O discipulado é provocado. Pessoas não discipulam pessoas por acidente; elas planejam discipular outras. Identificamos seguidores fiéis de Cristo e, em seguida, os desafiamos a crescerem na graça divina através do árduo trabalho do discipulado.

Além disso, o discipulado é feito na igreja local. Todos os tipos de pessoas se juntam a igrejas e estão à procura de ajuda. Você só precisa se dar a conhecer e ser fiel em uma igreja, e logo estará derramando sua vida na vida de outros. A igreja como veículo fornece um habitat para o discipulado que continuará pelo resto de sua vida. Nenhuma igreja pendura uma placa de “Não Precisamos de Ajuda”.

O discipulado também envolve ensino. Mentorear enfatiza um relacionamento, mas o discipulado enfatiza o contexto. Uma coisa que precisa ser adicionada é o currículo. Alguns leigos podem apresentar seu próprio estudo e, felizmente, não há necessidade de reinventar a roda. Existem bons currículos, e cada igreja precisa de um em que eles possam confiar.

Como esperado, a forte eclesiologia de Dever aparece no livro. Alguns podem discordar de algumas de suas convicções e aplicações práticas. Por exemplo, como pastor sênior, vejo a pregação e o ensino da Palavra de Deus como um dos meus principais papéis, então eu nunca entregarei meu púlpito para outros com a frequência que Dever faz (40% do ano). Outras áreas de responsabilidade podem ser delegadas aos discípulos. Além disso, nossa igreja não tem uma equipe como presbíteros, e nossos presbíteros avançam somente depois de chegar a uma decisão unânime — um voto da igreja pode levar a uma divisão da igreja.

Um Ótimo Lugar para Começar 

Discipular lida com a responsabilidade cristã de levar outros à maturidade em Cristo. Essa é uma questão central. O livro é acertadamente pesado quanto a uma filosofia bíblica de discipulado e o papel da igreja no discipulado, mas é um pouco leve em técnica e método.

Então, se você está procurando um livro que estabeleça a importância do discipulado e lhe dê o básico, o livro Discipulado é um ótimo lugar para começar. Mas se você está atrás de um recurso que ajudará um indivíduo ou uma igreja a iniciar uma estratégia particular ou um processo de discipulado (por exemplo, currículos específicos, planos de discipulado individual, uma estratégia abrangente da igreja para fazer discípulos, lidar com problemas explícitos que surgem no discipulado, e assim por diante), você precisará complementar este útil livro com outros materiais.

______________________

Tommy Nelson atua como pastor sênior da Denton Bible Church em Denton, Texas.

Tradução por Victor San direto do site https://www.thegospelcoalition.org/reviews/discipling/

É permitido que você reblog esse post, desde que faça as devidas referências de autoria e tradução originais. O recomendável é que você coloque um link deste artigo em seu blog.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: