O Que Acontece Com Nossos Animais de Estimação Quando Morrem?

19 DE MAIO DE 2017  | Garrett Kell

Minha esposa e eu fomos acordados recentemente pelo choro de um de nossos filhos. Eles encontraram nosso cachorro, Nellie, morto no chão.

Nellie era uma Chihuahua vesga que trouxe muita alegria para nossa família. Ela era um cachorro tão bom quanto um Chihuahua pode ser.

À medida que as lágrimas fluíam, o mesmo acontecia com as perguntas. Por que Nellie teve que morrer? Por que Deus levou Nellie tão cedo? Veremos Nellie no céu? Enquanto alguns podem considerar essas perguntas bobas, eu não.

Quanto mais tempo vivemos neste planeta caído, mais tristeza enfrentamos. Alguns sofrimentos são pequenos, outros são grandes, mas tudo dói. Algumas famílias passam por tragédias cedo e com frequência. Nossa família foi poupada de tragédias significativas, mas momentos como esses ainda deixam sua marca.

Depois de um tempo, pudemos conversar sobre o que estávamos sentindo e as questões que estávamos processando. Aqui estão alguns destaques.

1. Sabemos por que nossos animais de estimação morrem

A morte é uma das realidades mais tristes e certas da existência. Seja um animal de estimação ou um companheiro semelhante, poucas coisas nos deixam cônscios quanto a morte. Um corpo frio e rígido que não tem a vida que uma vez carregou é um pesado lembrete de que algo está tragicamente errado com nosso mundo.

A Bíblia nos diz claramente que quando Adão e Eva se revoltaram contra Deus, uma maldição foi lançada não apenas sobre a humanidade, mas sobre toda a criação (Gn 3.14, 19). Por causa disso, a morte vem para todos nós, humanos e animais.

Em Deuteronômio 6, Deus dá aos pais israelitas esta ordem: “Você as inculcará a seus filhos, e delas falará quando estiver sentado em sua casa, andando pelo caminho, ao deitar-se e ao levantar-se.” (v.7)

O discipulado no lar acontece quando vivemos juntos – e quando enterramos os animais de estimação juntos. Alguns podem querer proteger seus filhos das discussões sobre a morte, mas nós não. Dizemos aos nossos filhos que a morte existe por causa da maldição do pecado. Todos nós morreremos; mesmo nossos amados animais não estão isentos.

2. Não sabemos por que nossos animais de estimação morrem quando morrem

A morte vem para todos nós em um momento e de uma maneira quase inesperada. Nellie era, até onde podíamos dizer, um cachorrinho saudável. Ela parecia dormir pacificamente. Perdi outros animais de estimação de maneiras muito mais traumáticas. Quando minha filha olhou para mim e perguntou: “Por que ela teve que morrer agora?” Eu simplesmente a segurei e disse: “Eu não sei”.

Quando amamos alguém, sempre parece que nosso tempo com eles foi muito curto. Eu a encorajei dizendo que nossa família amava Nellie e ela nos amava na mesma medida. Também a lembrei de que não precisamos temer perder aqueles que amamos; em vez disso, devemos amá-los tanto quanto pudermos enquanto eles estão conosco.

3. Deus não é cruel, ele se importa

O Deus da Bíblia não é um pai cruel, distante e ausente que espera que seus filhos sofredores “aguentem”. Em vez disso, ele nos dá preciosas promessas.

Uma que discutimos está em Salmo 34.18: “Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado; ele salva os de espírito oprimido.”

Quando os animais de estimação morrem, é um bom momento para pegar uma promessa do Senhor e deixá-la confortá-lo. Novamente, para alguns, isso pode parecer mesquinho. Mas garanto que não. Na verdade, se seu deus não se importa com as lágrimas de um filho que perdeu seu amado animal de estimação, então seu deus está muito distante.

4. Deus não nos diz o que acontece com nossos animais de estimação quando eles morrem, mas podemos confiar nele

Praticamente todo mundo que perdeu animais de estimação já se perguntou: “Vou vê-los novamente?” Alguns dão garantias sinceras com base no que eles esperam que aconteça. Mas a esperança é preciosa demais para ser lançada sobre o que simplesmente queremos que seja verdade. É mais seguro ancorar nossas crenças no que Deus diz ser verdade. E sobre esta questão, ele simplesmente não diz.

Os animais não têm a mesma esperança que os seres humanos, porque os humanos são distintos entre todas as criações de Deus. Somos feitos à imagem de Deus; animais (e anjos) não são (Gn 1.26-27). Entre os seres vivos, temos uma capacidade única de raciocinar (Sl 32.9). Jesus veio para salvar humanos, não anjos ou animais.

No entanto, a Bíblia fala sobre a presença de animais na vida futura. Em Isaías 11.6–8 e 65.25, o profeta lista vários animais ao descrever o reino eterno de Deus. As promessas de Deus retratam um mundo vindouro em que os animais conhecerão a paz pela qual também anseiam (Rm 8.18-25).

Acho que isso nos dá boas razões para supor que Deus encherá a nova criação com seres à sua imagens redimidos, anjos eleitos e todos os tipos de animais.

Duas certezas

Nossos animais estarão no céu? É melhor ser honesto e dizer que não sabemos. Eu não ficaria surpreso se Deus, com sabedoria generosa, nos permitisse desfrutar da companhia de animais familiares na glória. Mas podemos ter certeza de duas coisas.

Primeiro, podemos ter certeza de que, se isso trouxer mais glória a Deus e nos ajudar a desfrutá-lo para sempre, então Deus nos reunirá com nossos animais de estimação. Deus sabe que boas dádivas nos dar, tanto agora como para sempre (Lucas 11.13). Como Paulo argumenta: “Aquele que não poupou seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas?” (Rm 8.32). Deus sabe o que é melhor para nós, então podemos confiar nele.

Em segundo lugar, devemos guardar nossos corações e não permitir que o amor por animais de estimação ou animais diminua nossa afeição por Deus. Não importa quão bom seja um presente, somente Deus – não o presente em si – é digno de nossa devoção. Isso inclui animais de estimação.

Então, como eu respondi a meus filhos?

Eu disse a eles que não sabemos exatamente o que acontece com Nellie. Mas sabemos que Deus é bom. Podemos confiar nele para fazer o que é melhor, e não ficarei nem um pouco surpreso se voltarmos a ver nossos animais de estimação na glória. Se eu estiver errado, tudo bem. Não há nenhuma doutrina séria em perigo, nem as esperanças de meus filhos estão vinculadas a nada além da sabedoria de Deus ao lidar conosco, seus próprios filhos amados.

Traduzido por Victor San a partir do site thegospelcoalition.org. Acesse o original aqui.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: