6 Fatos Sobre o Anticristo Que Você Precisa Saber

Há muita especulação sobre o aparecimento do anticristo. Mesmo fora do ambiente cristão existe um senso comum sobre essa figura bíblica principalmente por estar relacionado a eventos futuros. Alguns personagens já foram apontados como o anticristo. De Nero a Hitler, do papa aos bilionários do século XXI, as pessoas sempre parecem enxergar alguma característica similar.

A Escritura realmente fala a respeito de um homem com característica subversiva e tirânica. Por exemplo, Paulo fala sobre o homem da iniquidade, o filho da perdição (2 Ts 2.3), e João diz que ele virá, mas que já havia vários anticristos pelo mundo (1 Jo 2.18). Isso significa que o anticristo pode ser tanto um homem quanto uma disposição mental na humanidade, uma maneira de ser, pensar e agir que se coaduna com aquele que se opõe a Cristo. Eu ja discorri um pouco sobre isso e você pode ler neste post. Agora vejamos alguns fatos sobre a aparição do anticristo e o contexto mundial dos últimos dias.

1. Ele surgirá em meio ao caos mundial

O livro de Apocalipse pode ser bem confuso e pertubador em uma primeira impressão. Mas quando entendemos que basicamente as visões podem ser entendidas como camadas sobrepostas dos mesmos eventos, ou como ângulos e intensidades diferentes, as repetições e a retomada das imagens ficam um pouco mais nítidas. Por exemplo, o desatar dos sete selos pelo Cordeiro implicam todos uma série de eventos comuns que marcam o fim dos tempos, assim com as sete trombetas.

Nessa descrição multifacetada dos eventos podemos ver alguns bem claramente, como: fome, pestes, guerras, crises econômicas, ambientais, sociais e mesmo astronômicas. Essa é uma série de fotografias de toda a História mundial, alguém diria. No entanto, o último tempo será profundamente afetado por uma convulsão composta de todas essas crises. Jesus disse que nesse tempo haveria uma tribulação mundial inédita (Mt 24.21).

Dentre as crises sociais haverá um aumento considerável da divisão entre as pessoas pela falta de amor, perseguição religiosa, materialismo exacerbado. Nas questões ambientais o aumento da temperatura, incêndios florestais colossais, destruição da fauna marinha, poluição das águas, maremotos e terremotos vários.* Nas relações internacionais, a tendência segue uma aparente unificação ideológica internacional por uma parte, e alguma retomada do imperialismo de séculos passados.

Em decorrência dessas mazelas e cenário, a economia e a agricultura serão gravemente abaladas e passarão por um controle rígido a nível de racionamento. Esse será o provável momento em que só poderão comprar ou vender quem possuir um selo. Logo, o comércio será regulamentado de modo radicalmente restritivo a ponto de somente os que se submeterem ao sistema imposto terão acesso aos bens de consumo básicos para a sobrevivência. Uma espécie de estado de sítio global. Lembrando que essa pode ser uma intervenção do sistema governamental de modo artificial, controlado. Pautas ambientalistas, sociais e econômicas têm sido amplamente difundidas, sem contudo significar que sejam legítimas. Isso indicará, possivelmente, que as autoridades cederão a esse artifício para justificar uma intervenção a nível global e urgente.

Todos esses eventos, no entanto, serão a preparação para o aparecimento do sistema do anticristo, quer ele se manifeste em figura humana quer se apresente como uma ideologia (“espírito”) aceita por grande parte da humanidade, ou ao menos a parte detentora de influência e decisão. Problemas globais requerem soluções globais. Ao menos essa tem sido a máxima dos que defendem o globalismo como uma ideia unificadora das nações. Foi assim que surgiu a ONU após a II Guerra Mundial. E o globalismo é uma ideologia que atinge diretamente a soberania das nações.

2. Ele terá apoio de várias nações

As profecias de Apocalipse apontam, não um tempo, mas um evento no qual as nações, ao menos dez delas, terão um importante papel no aparecimento do anticristo. E o ato mais significativo dessas potências é a suspensão da soberania nacional para uma espécie de coligação internacional em prol do anticristo ou de seu sistema ideológico (17.13).

Nesse cenário se instala um importante indício da segregação de pessoas: “a marca da besta”. Sem criar especulações sobre a literalidade ou não desse sinal, o certo é que o mundo estará, mais do que nunca, dividido entre os que se sujeitam à marca e os que não a aceitam. Esse evento é fundamental para que o anticristo surja em um momento de maior aprovação, pois a maioria da população mundial se deixará marcar. Aqui está o fator segregador demonstrado em Apocalipse 13.17: somente os que tiverem a marca, o nome ou o número da besta poderão ter acesso a compra e venda, o que significa uma intervenção direta na economia e na subsistência dos resistentes.

A marginalização é a consequência imediata da segregação entre os que apoiarão a besta e os que não se curvarão a ela. Vale lembrar que a imposição/aceitação desse fator segregador se dará em todos os âmbitos sociais (Ap 13.16). Tal identificação pela marca, número ou nome da besta será subsequente à manifestação da besta que emerge da terra e opera grandes sinais.

Essa besta é vista por João com dois chifres (poder, reis). A besta sobre a qual os reis governam nos indica se tratar de um sistema político dominante, feroz e destruidor. Também sugere alguma ideologia que pode ressurgir como forma de governo e terá grande domínio sobre as nações. Essa personalidade ou sistema ideológico exercerá o controle impondo restrições e sanções. Já vimos recentemente como isso foi facilmente imposto sobre todos os países. Direitos, liberdades, a verdade, e a economia foram todos suspensos sob o pretexto de medida sanitária para algo completamente novo. Se era novo, como poderia haver alguma eficácia nas medidas? Enfim, o experimento foi feito e os resultados foram coletados através de uma imensidão de dados gerados e produzidos. Esse também foi o período em que a mentira ganhou foco e combate difuso, mesmo não existindo nenhuma legislação que criminalize a mentira.

3. Ele exercerá poder através de mentiras

O diabo é o pai da mentira, disse Jesus. E a mentira terá parte fundamental na implantação do globalismo anticristão. Nos últimos dias, um importante divulgador das mentiras de Satanás seduzirá a muitos. Apocalipse apresenta essa figura sob a epítome de “o falso profeta”. Historicamente e teologicamente, um profeta sempre teve uma função marginal de chamar o povo de volta à verdade de Deus antes que viesse o juízo. Em Israel, esse papel foi desempenhado completamente à margem do sacersócio (religião institucionalizada) e da linhagem real (dinastia, monarquia).

Como uma espécie de reação à voz dos profetas, surgiu o movimento dos falsos profetas. Esses suprimiam a voz de Deus por meio de mensagens falsas e não autorizadas por Deus. A principal característica da falsa profecia era sua parcialidade sempre em favor dos reis e príncipes. A mentira era evidenciada quando o que o falso profeta havia falado não se cumpria. Era a corrupção do ofício de profeta, que nem mesmo era um ofício, já que Deus levantava qualquer um que ele quisesse, até mesmo homens simples do campo, como o pecuarista Amós.

O anticristo e seu sistema serão amplamente divulgados por meio de mentiras produzidas pelo falso profeta. Esse será um difusor de mentiras para que os povos se submetam à besta, o anticristo. Suas mentiras servirão ao propósito do anticristo e enganarão a muitos. Como o anticristo, o falso profeta poderá vir representado em uma personalidade ou em sistema. Hoje sabemos que grande parte da imprensa internacional formou uma unificação e uniformização da veiculação de informações. Sabemos que um pequeno conglomerado possui o controle de quase toda a veiculação de informação nos meios tradicionais. Não será difícil usar a mídia para criar artifícios e discursos, como temos visto acontecer hoje mesmo.

Além do apocalipse de João, o apocalipse de Paulo menciona que serão enganados todos aqueles que deram crédito à mentira, pois não acolheram o amor de Deus, suprimiram a verdade pela prática da injustiça. Esse é um relevante indicativo de que o falso profeta terá êxito apenas naqueles que preferiram a mentira à verdade. Paulo também se refere a essa característica escatológica convulsiva como a “operação do erro”. Parte influente da sociedade será enganada e se deixará enganar, pois convém que as coisas sejam brevemente assim para que venha o fim.

Jesus também revelou que os últimos dias seriam marcados pela proliferação do engano, da falsa religião, do ódio e da falta de fé. É dito ainda que o anticristo realizará até mesmo sinais e prodígios da mentira para enganar, se possível, até os eleitos de Deus. Veja que os falsos propagandistas usarão de credenciais aparentemente verdadeiras para convencer os que não acolheram a verdade, mas potencialmente, não de fato, suficientes para enganar os eleitos.

Não custa lembrar que o “homem da iniquidade” virá inicialmente com um discurso atraente, aparentemente do tipo diplomático e conciliador. Talvez esse fato não seja um dos mais distintos, por se aplicar a uma centena de personalidades historicamente relacionadas ao poder desde os imperadores romanos. No entanto, seu discurso mostrará em pouco tempo que ele não é bem quem diz ser. Ainda assim, muitos serão seduzidos por suas palavras falsas e provavelmente continuarão a apoiá-lo mesmo quando revelar sua face perversa.

Apocalipse nos diz que o falso profeta, o principal propagandista da besta, também criará uma aparência inofensiva (cordeiro), mas suas palavras serão destruidoras como a fala de um dragão (Ap 13.11). O objetivo do anticristo com isso é se colocar no lugar de Deus, sendo alvo de veneração. Ele terá autoridade para dizer quem vive e quem morre, quem será preso e quem não.

4. Ele perseguirá seus opositores

O anticristo será recebido e aclamado por muitos do mundo inteiro. Em consequência disso, ele receberá autoridade para exercer o domínio sobre o mundo. Apocalipse adverte que ele terá autoridade sobre “cada tribo, povo, língua e nação; e adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra” (13.7b). O que não significará uma submissão completa, pois os de Cristo não curvarão sua fronte para aquele que blasfemará de Deus e dos santos, e se assentará como se fosse Deus.

É aí que os opositores ao seu governo sofrerão, como Jesus disse, uma tribulação jamais vista na face da terra. Serão perseguidos, presos e mortos por não adorarem a besta e o dragão. Sim, a derrota dos que guardam os mandamentos de Jesus fará parte da grande tribulação que virá ao mundo, e o anticristo terá êxito. “Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse.” (Ap 13.7a). O mundo festejará a derrota e morte dos cristãos. Mas esse não será o fim.

Este acontecimento é o que definirá uma vez por todas a fidelidade e a perseverança dos cristãos. Primeiro por saberem que sua luta não é contra carne e sangue, ou seja, contra seres humanos, mas contra os principados e potestades, contra as ideias humanas influenciadas por demônios que atuam nas sombras manipulando decisões malígnas. Em segundo, porque é necessário que seja assim até que a vitória do Senhor Jesus seja consumada em sua vinda.

Preciso deixar claro, pois a Escritura assim o faz, que os dias serão maus, pois vivemos em um mundo mau, que está morto e é dominado pelo malígno. Não o mundo enquanto a criação de Deus, mas o mundo enquanto sistema humano. Esse sistema existe desde o primitivo Caim, que matou a seu irmão, fugiu e edificou uma cidade. Caim tipifica o espírito do anticristo que se levanta contra o seu semelhante e se revolta contra Deus. Outros se seguiram, como seu filho Lameque, Ninrode e tantos outros na história, como Nero, Domiciano, e muitos outros impérios sob o controle humano e hostes malígnas.

Também é importante entender que, conquanto os reinos tenham sido entregues a satanás, e de fato os reinos desse mundo estão dominados por demônios, isso faz parte do desígnio soberano de Deus em julgá-los. E então, o reino será entregue a Deus e ao seu Ungido, aquele que foi apontado para reger as nações com justiça.

5. Ele será destruído com um sopro

O anticristo e seus aliados vencerão e implantarão tempos sombrios de terror sobre a face da terra. Mas a misericórdia de Deus triunfará, pois esses dias, como disse o Senhor, foram encurtados. Não se prolongarão. Quando os dias se tornarem insuportáveis a ponto de as pessoas desmaiarem por ocasião da expectativa de coisas muito piores, Jesus diz que “ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; porque a vossa redenção se aproxima.” (Lc 21.28).

Esse momento é referido como de grande convulsão global, comparado às dores de parto de uma gestante. Mas depois do choro da noite, vem o dia. Depois da dor do parto, vem o riso e a alegria do nascimento de um filho. É quando, então, o Senhor aparecerá nos céus em toda a sua glória e explendor. Os que o perseguiram e se opuseram a ele, se lamentarão com grande pranto e espanto. Os que o aguardam, terão grande e indizível regozijo por verem ao Senhor e por ter o seu socorro vindo do alto.

Na referida ocasião, o anticristo será desintegrado com apenas uma palavra do Senhor Jesus. Mas esse não será ainda o seu fim. O sopro de Jesus apenas tornará o anticristo inoperante. Isso significa que ele deixará sua forma humana por meio da qual usurpou o poder de governar o mundo. Leia 2Ts 2.7-12.

A vinda do Senhor também revelará ao mundo quem realmente é o anticristo. O que se sugere pelas palavras de Paulo é que, até então, ele será visto de modo diferente por muitos. Mas isso se deve ao fato de que o mundo dará crédito à mentira, aos falsos prodígios e sua aparente pose de um governante global necessário para o mundo. Todos serão finalmente convencidos quando o Senhor aparecer, e todos confessarão reverentemente o seu santo nome.

6. Ele será lançado no lago de fogo e enxofre

Ao contrário do que diz a imaginação popular, o diabo não é o governante do inferno. Lá, ele não atormenta ninguém, mas ele é atormentado. O inferno também não é seu destino final.

Quando a besta, que é o anticristo, for tirado de cena pela aparição do Senhor nos céus, no mundo espiritual os anjos de Deus deterão também o anticristo e o falso profeta. Esses, juntamente com a morte e o inferno, serão, então lançados no lago de fogo e enxofre. Leia Ap 19.20; 20.10, 14, 15.

O lago de fogo designa a segunda morte dos adoradores da besta e o destino do diabo, do anticristo, do falso profeta, da morte e do inferno. Significa que a vitória de Jesus banirá para sempre esses inimigos do povo de Deus. Esses o servirão e contemplarão a sua face na face de Cristo, o Rei dos Reis e Senhor dos senhores. Então, virá o fim deste mundo como o conhecemos.

Há muitas verdades que tornarão o fim dos tempos bastante indesejáveis. Mas isso não justifica que ignorar ou tentar afastá-las fará com que tenhamos a vida que desejamos no atual mundo. O mundo nunca poderá nos dar vida e conforto do modo como ansiamos, pois isso vem de Deus. O último tempo revelará que vivemos em um mundo hostil, mas ainda estamos aqui. Ele passará, e aqueles que fazem a vontade de Deus permanecerão como luzeiros eternamente. Portanto, mesmo em face da tribulação, perseguição e morte, todos somos mais que vencedores por meio daquele que nos amou e deu a sua vida por nós.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Site desenvolvido com WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: